julho 30, 2010

Fascismo de esquerda em novo talhe


James Lewis
  Estamos vendo hoje um novo eixo Esquerda-Fascismo [Left-Fascist] herdeiro da antiga aliança entre Stalin (e o comunismo internacional) e a Alemanha de Hitler. A recente flotilha de Gaza foi articulada pela esquerda radical (de Bill Ayers, Bernardine Dohrn, Jodie Evans e outras cabeças de serpente de Obama) em conlúnio com o Hamas, que é tão fascista que não pode mais. Se você duvida disto, assista a TV Hamas no website da MEMRI. Eles são os piores. Lá eles ensinam criancinhas sobre a glória de morrer por Alá. Mesmo o Fatah entende que o Hamas é um grande retorno à Idade das Trevas.
Na flotilha de Gaza, os turcos que urravam “Khaibar! Khaibar!” e que tentavam matar os soldados israelenses, eram membros do ramo turco do Hamas, o grupo Irmãos Muçulmanos. Eles entoavam “Khaibar!” para fazer referência ao massacre de judeus que foi a Auschwitz de Maomé. Isto não deixa nenhuma dúvida de quem eles eram. O martírio é só um meio para um fim, e este fim é Khaibar. A mídia esqueceu-nos de contar essa parte da história.
As palavras interessam, é por isso que a esquerda está sempre criando novas palavras, para despistar quem eles são na realidade. A Esquerda não é mais comunista, são todos agora “progressistas” --- o que nos leva de volta a 1776. Os “progressistas” sempre sabem qual o caminho para encontrar o “progresso”, e isto vem para atordoar o resto de nós. Porque se você não é “progressista” você deve ser um inimigo do progresso.
A Esquerda radical não mudou nada desde Stalin. A Esquerda ainda acredita no totalitarismo global. Stalin está morto, mas o stalinismo este avança. Ouçam o estampido de suas botas.
A Esquerda está retornando à época dos antigos cultos utópicos, os Maias, Gengis Kã ou o Imperador Amarelo da China, Idi Amin Dada e Robert Mugabe [aos quais se unir, como faz Lula, justifica-se pela propaganda antiamericana e pela utopia ideológica]. É uma volta a antigo sacerdócio que é também um culto rumo à camarilha do totalitarismo. No Egito Antigo você tinha que morrer para alcançar a utopia, mas a psicologia é a mesma. Os cultos utópicos sempre apelam aos bajuladores. São a parte mais torpe da condição humana. Mas não há nada de novo ali, e eles não são, por certo, “progressistas”. São retrógrados [ressentidos e nostálgicos de um sonho pueril].
Obama não se parece com um americano normal, porque ele é um Alto Sacerdote. Harry Truman não poderia reconhecê-lo, mas o Rei Tut sim. Obama tem toda a arrogância e a ignorância de um Faraó.
Assim, aqui há dois modos para simplificar o circo diário da mídia. Primeiro, a mídia promove o culto da Esquerda, tentando nublar nossas mentes. A “Esquerda” coincide com o totalitarismo global, que é o stalinismo, que é o leninismo, o feminismo radical, o ódio racial do Reverendo Wright e de Louis Farrakhan. A mesma estória, rótulos diferentes. É simples assim.
Qualquer que seja a máscara que eles usem, esquerdistas radicais são internacionalistas --- quer dizer que eles são contra a América como uma nação soberana. É o que Obama tem realmente contra nós, e é por isso que ele jamais reforçará nossas fronteiras. [O mesmo acontece vale para Lula, todo o Foro de São Paulo, e a tal “soberania da América Latina”] É claro que os esquerdistas são todos “patriotas” em suas cabeças, porque eles adoram as flores das pradarias e as colinas. E eles desprezam os hamburgers do MacDonalds e comem rúcula, porque no fundo eles são todos apenas os mais extraordinários esnobes. A América é apenas uma pequena parte do Planeta Gaia, onde todos podem viver em paz e harmonia porque Obama ou Al Gore nos governarão com punho de ferro. E tudo isso, vejam que sorte nossa, para o nosso próprio bem.
Assim, a Esquerda não mudou nada desde há muito. É por isso que Harvard tem um “código de ética, uma cortesia ao gosto de Elena Kagan e dos Comissários [do Povo]. As pessoas não podem receber a confiança de dizer o que lhes passa pela cabeça. Elas podem ferir os sentimentos de alguém. Códigos de Ética são antigos meios para o controle das pessoas [o bullying, idem; a etiqueta, a isenção, a polidez epidêmicas do nosso tempo, idem.]. Todos os pré-históricos pequenos Hitlers produziram tabus éticos.
A segunda palavra com esse tipo de uso é “fascista”. Acadêmicos gastam vidas acadêmicas inteiras tentando definir essa palavra. Mas se você acredita em matar pessoas até que elas se rendam ao seu totalitarismo nonsense, se você quer escravizar mulheres, crianças, judeus, cristãos, muçulmanos neoconformistas (tal como os Bahai), gays, africanos no Sudão, marxistas (o quê?! isso mesmo), trotskistas, liberais ou qualquer outro que pensa que a Constituição Americana é uma boa idéia, você é um fascista. Uma definição simples e racional.
Então, estamos diante de um novo pacto Hitler-Stalin, O Retorno. As motivações são as mesmas. Estas pessoas odeiam o mundo moderno, exatamente igual aos Nazistas e aos Leninistas antes. Hitler quis retornar aos deuses Nórdicos. Sua utopia está em um passado fantasioso. Lênin localizou sua utopia em um futuro distante. Se você é um utopista opressor, você tem que sonhar desde um passado distante ou [sobre] um futuro nebuloso, tanto melhor se impossível ver ao que isto irá realmente se parecer.
Hoje nós temos os Sauditas querendo voltar ao islamismo no século VII d.C. e à promessa escatológica de redenção universal do Islam dos Doze do Irã, segundo a doutrina do Hidden Mahdi, no século XI d.C.. Eles querem realizar a utopia pela força e pelo terror [--- mas não dão a isto esse nome. Os meios não são citados, apenas como será, como surgirá, de em meio ao futuro nebuloso, vindo de um passado inventado.]
O fascismo esquerdista não tolera o individualismo, a liberdade, a livre-expressão e a legitimidade eleitoral, que é sempre o que eles tentam sabotar nos governos constitucionais. Como Kagan, agora, na Suprema Corte. E com Obama como faraó no Salão Oval. [Lula como novo Cristo; Dilma, então, como o Cristo e Lula como São João Batista; depois avança, Dilma como São João, etc....] Por que a genuflexão ao Rei Saudita e ao Imperador do Japão? São ambos reacionários totalitários. Obama curvou-se perante eles, mas ele deu um poderoso sinal à América. Esta é a marca de Obama.
Estamos assistindo a uma revivificação do Pacto Hitler-Stalin de 1938. A aliança Esquerda-Fascismo foi rompida quando Hitler o abandonou e decidiu enviar tanques para a Polônia e Rússia.
É o que Freud chamou de “repetição compulsiva”. Isto acontece sempre e sempre de novo, porque estas pessoas não vivem na realidade. É por isso que elas são perigosas. Elas jamais percebem o que deu errado da última vez, então elas continuam tentando uma vez mais. Elas vivem em fantasias egomaníacas e as pessoas reais é que pagam o preço destas tentativas. Perdem suas vidas!
Há não muito tempo um Eixo Esquerda-Fascismo surgiu levando à Segunda Guerra Mundial e à Guerra Fria. Talvez a única forma de vencê-los é levá-los a lutar uns contra os outros. É como nos livramos deles antes.
Não sei como as pessoas decentes prevalecerão desta vez. Acho que conseguiremos, porque o fizemos de outras vezes. Mas estamos em uma outra Longa Guerra contra alguns focos reais de perigo. O inimigo hoje são ambos, a Esquerda e o Fascismo.
Leia os jornais e você verá isto todos os dias.
Eles estão de volta!

* * *

De James Lewis, “The Left-Fascist Axis. Again| Original do American Thinker de 06 de julho de 2010.

Nenhum comentário: