agosto 27, 2009

O Culto Eco-Carbonário

--- CONTRAPONTO À QUESTÃO ---

INTRODUÇÃO

Como todo movimento místico-iniciático, o aspecto de culto pseudorreligioso apontado por Jim Guirard tem semelhança com outro grupo iniciático ligado ao ciclo do carbono fóssil, os Carbonari italianos. O culto maniqueísta a que Guirard propõe descreve a visão dos proponentes inflexíveis do aquecimento global antropogênico, para os quais o carbono (CO2) é próprio diabo. Assim, não é errar nomeá-los ambientalistas carbonários, em referência a seus doppelgänger do Risorgimento italiano. Os Carbonari, “queimadores de carvão” (numa tradução literal) eram negociantes de carvão, cujos símbolo e prática da atividade eram fonte de seus rituais, e foram uma sociedade secreta revolucionária. Seu doppelgänger moderno parece serem os “eco-carbonários” (por uma coincidência invertida), os quais atribuem à queima de combustíveis fósseis os males do mundo. Estes estão interessados em combater a emissão de carbono na atmosfera com fins políticos, não menos revolucionários, valendo-se do poder de jaganatas (aquele pelo qual há devoção cega e autodestritiva), messiânicos de catástrofes escatológicas de nenhuma salvação que não a que propõem.

The Branch Carbonian Cult”

By Jim Guirard

American Thinker, August 23 2009

(Tradução sob o meu risco)

O Movimento de Aquecimento Global (MAG) tem assumido os temíveis atributos de um culto pseudorreligoso que opera antes na base de um sistema de “credo” apocalíptico do que em termos de ciência climática objetiva.

Desde que este Movimento mundial e suas políticas estridentes de Menos Energia a Altos Preços (a fim de alcançar reduções para cada “marca de carbono” de cada um) passou a ser o centro da enome demanda de energia americana, colocou-se a segurança nacional sob riscos de maior proporção.

E nesse contexto, a Cruzada do MAG deveria ser compreendida em uma perspectiva “Conhece Teu Inimigo” por princípio --- talvez não em termos de um inimigo do povo americano de pleno consciente e intencional, de tempos de guerra e crise econômica, mas como um perigo mortal à nossa estabilidade econômica e segurança nacional.



O reino dos cultos

Aqui, por efeito, em mais detalhe que qualquer vaga alegação de “cultismo” possa carregar, há não menos que dez das características muito específicas da ideologia do MAG, cujas raízes e influências afins podem ser encontradas no livro premiado de Walter Martin's and Ravi Zacharias, Kingdom of the Cults:

    1. Faz surgir uma liderança por autoglorificação, um Profeta “New Age” manipulador --- no caso, o primeiro vice-presidente Al Gore, embora ele tenha sido rapidamente suplantado pelo presidente Barack Obama.

    2. Anunciação de um perigo apocalíptico para toda espécie humana;

    3. Definições absolutistas de ambos, o perigo e sua solução(ões) proposta(s);

    4. Promessa de salvação desse apocalipse iminente;

    5. Devoção a um texto inspirado, o qual (arguendo) contém todas as respostas --- nesse caso, o livro pseudocientífico A Terra em Jogo (Earth in the Balance), do Profeta Gore, e seu mais recente documentário, Uma verdade inconveniente (An Inconvenient Truth);

    6. Uma lista específica de “verdades” (veja os Dez Mandamentos listados abaixo) as quais devem ser seguidas e delas fazer prozélito todo aquele que é membro do Culto;

    7. Deve haver absoluta intolerância a qualquer desvio a qualquer destas verdades por qualquer membro do Culto;

    8. Intolerância estridente a qualquer crítica de fora para as definições dos problemas do Culto ou de suas soluções propostas;

    9. A visão do “Paraízo-na-Terra” dos resultados do sucesso da missão e/ou o “Inferno-na-Terra” como resultado no caso da missão poder falhar;

    10. Medo inexplicável (e uma total rejeição da possibilidade) de ser provada errada em sua visão apocalíptica ou proposta salvadora;



Os Dez Mandamentos do Profeta Gore (e agora do Profeta Obama)

Agora, com a definição do Culto do MAG posto, a outra parte --- seus Dez Mandamentos segundo as categorias “Tu Deves” e “Tu Não Deves” absolutas --- feitos para manter seus cultistas devotos em estreita fidelidade e seus destratores intimidados, distantes:

  • Deverás ter apenas uma Divindade perante vós, a Mãe-Terra (Gaia);

  • Não deverás adorar falsos profetas ou sustentar superstições de outra natureza --- especialmente os ciclos solares, ciclos oceânicos, influências vulcânicas e o culto das “Ciências Objetivas” em geral [i.e., misiticismo objetivista-realista];

  • Não deverás, jamais, duvidar do desaparecimento catastrófico da “Camada de Ozônio”;

  • Não deverás duvidar da origem antrópica (i.e., pelo homem) do aquecimento global, como primeira causa;

  • Deverás condenar os incrédulos como “Extremistas” e “Criminosos de Lesa-Humanidade”;

  • Deverás minimizar, ignorar e negar qualquer e toda descoberta ambiental otimista;

  • Deverás evitar avaliações de custo-benefício para a solução do aquecimento global e jamais admitirás erro ou falsidade sobre nada;

  • Deverás opor-te sempre às forças Nuclear e Hidroelétrica novas, a despeito de suas características de não-aquecimento;

  • Deverás promover políticas de emissão zero de carbono de Menos Energia a Altos Preços, exceto ao Etanol altamente subsidiado;

  • Deverás engajar-te para sempre a “Eeeecologia” e “Eeeeconomia” (i.e., táticas ecológicas e econômicas alarmistas) e nunca, jamais votar em Republicanos;

Finalmente, desde que esse MAG jaganata parece ter feito lavagem cerebral na maioria dos americanos, na maioria da mídia e na academia, na maioria do Congresso e mesmo em muitas igrejas, de modo a dar suporte a este esquema pseudorreligioso, o Wall Street Journal concluiu, recentemente, que isso é coisa que mostra ter todo o aspecto de uma “Neurose de Massa” de natureza cúltica, coisa que parece ser, assombrosamente, o caso.



Verdades a serem ignoradas ou negadas

De modo mais correto, tudo que é necessário para o início do colapso desse frágil castelo de cartas é uma outra lista de fatos --- que podem pôr à prova muito da missão do Culto, suas táticas e alegadas “soluções” ---, nomeadamente:

(a) o fato de que enquanto o gelo ártico pode (ou não, nos últimos tempos) estar recuando, o gelo antártico tem aumentado ao longo de 40 anos;

(b) o fato de que as temperaturas globais tem estado em leve decréscimo desde 1998;

(c) o fato de que Marte (que não está exposto à ação humana) está experimentando “aquecimento global”, como a Terra;

(d) o fato de que as “plataformas de gelo” que ocasionalmente se soltam, flutuam e afastam-se do continente e derretem no mar, não aumentam o nível do mar no todo;

(e) o fato de que vários dos “anos mais quentes” registrados foram as décadas de 1930 e 1940, quando os níveis de CO2 eram muito mais baixos do que hoje;

(f) o fato de que a maioria dos cientistas afirma, convictamente, que o CO2 atmosférico produz consequências lentas, antes que efeitos abruptos, ao alegado aquecimento global;

(g) o fato de que todos os períodos glaciais e interglaciais foram claramente causados não por humanos, mas por ciclos vulcânicos e oceânicos e flutuações “naturais”;

(h) o fato de que a molécula de dióxido de hidrogênio H2O --- vapor d'água --- e moléculas de metano são 20 a 30 vezes mais capazes de reter calor do que o CO2;

(i) o fato de que as térmitas pelo mundo expelem muito mais gases ligados ao aquecimento global na atmosfera do que todos os combustíveis fósseis produzidos pelo ser humano;

(j) o fato de que mesmo que todo o protocolo de Kyoto fosse obedecido, por todas as nações, o impacto conjunto estimado em 2050 seria menor que meio grau F --- com um custo-benefício de arruinar de mil por um, quando os requesitos padrões são não mais que de um para um.

Conclusão: Desde que uma tal conspiração profética, pseudorreligiosa, boateira e alarmista precisa de um nome descritivo, e desde que o assunto trata da alegada redução da “camada de ozônio” sobre a Antártica, a qual passou ao pânico do CO2, que substituiu aquele, permite que essa tagarelice de culto ambientalista possa ser chamado “Culto do Ramo Carbônico” (Branch Carbonian Cult):

– “Ramo”, porque é uma extensão radical do corpo principal do ambientalismo com base em critérios científicos;

– “Carbonian”, por seu professado medo do CO2 como causa principal do aquecimento global; e

– “Culto”, por sua estrutura autoevidente e práticas peculiares --- as quais estão em total acordo com a maioria dos elementos típicos de cutos religiosos, Ramo davidiano, ou outros.

Jim Guirard é um representante e diretor do truespeak.org.

Fonte:

http://www.americanthinker.com/2009/08/the_branch_carbonian_cult.html

*

N. do T.

Uma alternativa foi dada no título dessa postagem: “Culto Eco-Carbonário”, pela coincidente --- e invertida --- relação daquela sociedade secreta (os Carbonari), da época do Risorgimento (1814–1861) italiano, com o movimento que tem os mesmos fins: iniciar mudanças sociais, valendo-se para isto de meios obscuros, através do blefe, da mentira, da conspiração e de toda forma contrafacciosa de ação ou oratória erística (senão, mesmo, da própria loucura), mostrando pelos hábitos serem herdeiros aparentados das sociedades secretas do século XVIII.

Por rituais iniciáticos acho poder ver evidência de auto-hipnose, que passam por técnica de propaganda. não intencionais, mas por efeito --- que se os reconheça antes às causas, que são mistificadas ---, produtora da confusão mental, que identifica os conspiradores entre si, praga do “século das luzes”, como não parece menos ser o caso dos “eco-carbonários”: conspiradores escatológicos, que pelo medo que infligem aos demais, vendem “conscientizações” e outras panacéias de comportamento que, em si só, já são remissões da culpa futura --- i.e., o esforço de propaganda para fazer agir conforme...

No caso, o caráter pseudorreligioso seria aquele mesmo das sociedades secretas, pois o culto do tipo davidiano, ou cultos religiosos carismáticos ou messiâncos, apegam-se mais ao sobrenatural como mal do qual se quer escapar física e espiritualmente, quanto muito, como Jim Johnes, numa comunidade fechada. Ao contrários destes movimentos pseudorreligosos, o cultismo escatológico anti-Carbono, pretende modificar a sociedade, tem a clara intenção voltada para a ação política e, portanto, antes de ser identificado a um movimento espiritualista, é o oposto, trata-se de um movimento político-escatológico com fins revolucionários.

Nenhum comentário: