março 20, 2009

Para além de Maquiavel


PARA A SUBVERSÃO
*
Toda guerra está baseada primeiramente em ludibriar o inimigo. Lutar no campo de batalha é o mais primitivo modo de fazer guerra. Não há maior arte que a de destruir o inimigo sem chegar sequer a lutar --- SUBVERTENDO todo valor positivo da nação inimiga.
Sun-Tzu. Filósofo chinês, 500 b.C.
A arte de ludibriar as massas por meio de coisas que produzem desvantagens a elas próprias e fazendo-as creer que se trata de “seu próprio desejo” é tão antigo quanto a própria humanidade.
A essência da subversão é melhor expressa pelo famoso slogan marxista (se você substituir “proletários” por uma palavra mais apropriada): “Idiotas úteis do mundo --- UNÍ-VOS!” Para alcançar os efeitos desejados, o subversor deve, primeiro --- separar os idiotas das pessoas normais, e DIVIDA-OS [as “minorias”]; reúna-os, então, numa massa informe de idiotas úteis unidos [1].
Tanques e mísseis podem ou não ser necessários nos estágios finais. Por ora, sendo apenas os meios de atemorizar as pessoas à inação e à submissão.
500 anos antes de Cristo o estrategista militar Sun Tzu formulou os princípios de subversão desse modo:
1. Cubra de ridículo todas as tradições verdadeiras em suas próprias nações;
2. Deve-se imputar aos seus líderes [supostas] relações criminosas e os expor ao escárnio do populacho ao mesmo tempo;
3. Sabote o trabalho dos seus governantes de todos os modos;
4. Não se negue à ajuda dos indivíduos mais baixos e desqualificados dentre os inimigos do seu país;
5. Dissemine a desunião e a disputa entre os cidadãos;
6. Volte os jovens contra os velhos;
7. Seja generoso com promessas e recompense colaboradores e comparças;
Soou familiar? Cerca de 2500 anos mais tarde nós pudemos ler estas mesmas instruções em um documento secreto, alegadamente de autoria da Internacional Comunista para seus “jovens revolucionários”. O documento é intitulado “Preceitos Revolucionários”:
1. Corrompa o jovem, reforce-lhe o interesse no sexo, afaste-o da religião. Faça dele superficial e fraco;
2. Divida as pessoas em grupos hostís tocando constantemente em temas controversos de nenhuma importância;
3. Destrua a fé das pessoas em seus líderes nacionais [2] sustentando contra o último desprezo, ridículo e desonra.
4. Sempre fale em democracia, mas alcance o poder, inescrupulosamente, tão logo quanto possa;
5. Encorajar o governo a estravagâncias, destruir seu crédito, produzir anos de inflação com preços altos e descontentamento geral;
6. Incitar greves desnecessárias em indústrias vitais, encorajar desordem civil e nutrir uma atitude branda e leniente por parte do governo a respeito destas desordens;
7. Causar a ruína de antigos valores morais: honestidade, sobriedade, autocontrole (moderação), fé na palavra dada.
*
Posso não garantir a autenticidade deste documento, o qual, de acordo com a mídia conservadora, foi capturado pelas forças aliadas depois da IIªGM na queda da Alemanha, em Dusseldorf. Mas eu posso assegurar-lhes, que estas “prescrições” são a mais literal interpretação daquelas “teorias e práticas” que eu aprendi de meus superiores da KGB e de meus colegas dentro da Agência “Novosti” de imprensa.
*
Prelude
TO SUBVERSION
Do livro de Yuri Bezmenov (Tomas Schuman),
Love letter to America (pp. 17-18)
(Tradução sob o meu risco).
Fonte: http://www.4shared.com/network/search.jsp?searchmode=2&searchName=BEZMENOV
1. Encontrei alguma difuculdade para traduzir este trecho, então adaptei-o sob alguns critérios “de campo”. O trecho, no original, é este: “make idiots out of normal people, and DIVIDE them, before turning the people into a homogenized mass of useful and united idiots”. A tradução pela qual optei leva em conta a derivação prática das “minorias” das “classes” de Marx, portanto, os “idiotas” unem-se naturalmente, mas conforme a sua afetação própria, e na tentativa de se diferenciar, optam por um grupo (uma “minoria”) que melhor os reconheça, que se mantém em conflito com outras “minorias” ou com “o sistema”, mas que reagem juntas quando conduzidas a isso --- pelo slogan marxista --- como montão faccioso, como massa, os “idiotas úteis unidos”.
2. Acrescente-se aqui, se você não puder corrompê-los diretamente.

Nenhum comentário: