novembro 19, 2006

Mundos hiperbóreos

(A alma do negócio:)

Num lugar onde o futuro é um bem inalienável de todo o povo e declarado riqueza natural renovável, espraiam-se vastos campos cultivados de esperança, um tipo de sisal que produz o fio com que se costura a sorte e o hábito de toda a nação, e onde o pensamento se isola da realidade, exaurindo a terra; e que só a intempérie e o tempo podem fazer surgir a oportunidade de uma relíquia à reflexão ou o enigma de um fóssil de algum mundo hiperbóreo, pouco mais além d'Aldeia.


Nenhum comentário: